41 3121.1001

41 99121.1001

Nesse momento de atenção à pandemia de COVID-19 é fundamental respeitarmos as recomendações das autoridades de saúde quanto ao isolamento social. 

Apesar disso, não podemos deixar de dar atenção ao manejo de problemas crônicos de saúde, visto que o descontrole pode diminuir a capacidade do organismo em responder a uma possível intercorrência, como também é o caso da  infecção pelo novo  coronavírus.
 
Além de deixar a saúde fragilizada, abandonar o tratamento pode levar à perda dos resultados obtidos com o acompanhamento prévio, e a uma maior dificuldade de controle no futuro.
 
Uma parcela significativa dos pacientes atendidos no dia a dia do consultório é composta por idosos e portadores de doenças crônicas como diabetes, obesidade e doenças cardiovasculares, grupo considerado de maior risco para evolução mais grave da COVID-19.
 
Considerando que o atendimento presencial nesse momento de crise pode representar maior exposição ao risco de contaminação pelo coronavírus, disponibilizamos o atendimento por telemedicina.
 
As consultas são realizadas respeitando-se as normas definidas pelo Conselho Federal de Medicina e demais órgãos competentes. 
O tempo dispensado nessa modalidade de atendimento é o mesmo (ou maior) que nas consultas presenciais. Os procedimentos também são os mesmos, incluindo análise de exames complementares e emissão de receitas médicas e outros documentos como atestados e recibos, que são enviados ao endereço do paciente sem custo adicional, ou através de outros recursos como e-mail ou whatsapp.
 
A maior limitação do método é a impossibilidade de realizar o exame físico do paciente, o que pode, em alguns casos, impossibilitar esse tipo de abordagem. Por isso essa é uma opção interessante principalmente em momentos peculiares como esse que estamos vivenciando. 
 
Ficou com dúvidas? Deixe-as nos comentários que farei questão de saná-las. 
Aguardamos seu contato tanto para o agendamento de consultas, como também para responder a outras solicitações, através do telefone/whatsapp (41) 999121-1001.

Em janeiro de 2020, a FDA (Food and Drug Administration) anunciou que estava analisando os dados dos ensaios clínicos e alertou o público sobre um possível risco de câncer associado à lorcasserina com base na análise preliminar dos dados.

Em fevereiro de 2020 a FDA solicitou que o fabricante do Belviq (lorcasserina) retirasse voluntariamente o medicamento para perda de peso do mercado dos EUA, porque um ensaio clínico de segurança mostrou um aumento da ocorrência de câncer entre os usuários.

A orientação é que os pacientes parem de tomar lorcasserina e conversem com seus médicos sobre outras opções terapêuticas para perda de peso.

A lorcasserina não utilizada deve ser descartada usando um local de devolução de medicamentos (algumas farmácias recebem), mas se você não conseguir encontrar um, poderá descartar a lorcasserina no lixo doméstico misturando os comprimidos em substâncias desagradáveis como por exemplo a borra de café, sem esmagar. Esses resíduos devem ser colocados em um plástico vedado e descartados no lixo doméstico.

Pacientes que fizeram uso de lorcasserina não precisam se submeter a nenhum tipo de investigação em especial. O pequeno aumento no risco de neoplasia esteve associado ao uso prolongado da medicação, acima de 12 meses. 

Fonte: MedPageToday - Diet drug yanked over cancer risk.

 

Você sabe o que significa o termo MODULAÇÃO HORMONAL?

Fique por dentro! Não se deixe enganar!

continue lendo

No programa Chá com Pimenta da Rádio Educativa conversamos sobre "modulação hormonal". Você sabe o que esse termo significa?

continue lendo

Confira a entrevista concedida para o Hora News.

Falamos sobre o consumo do álcool e seus riscos para a saúde.

https://www.facebook.com/watch/?v=1797010927019467&t=54

continue lendo