41 3121.1001

41 99121.1001

Motivos para cuidar bem da tireoide não faltam, afinal essa pequena glândula tem um grande efeito em todo o organismo. Seu mau funcionamento pode causar alterações de peso, de humor, de memória, entre outros. Daniele Zaninelli, endocrinologista do Hospital VITA Curitiba, explica que vários fatores podem interferir no bom funcionamento da glândula, podendo desencadear o hipotireoidismo ou o hipertireoidismo. "A frequência com que esses fatores são observados pode variar de acordo com as características de cada população, como fatores alimentares, características genéticas e faixa etária", diz a especialista. Ela cita como principais fatores a genética, a autoimunidade, deficiência ou excesso de iodo, uso de alguns medicamentos, infecções virais e exposição à radiação.

Cuide bem dela!

Para manter a tireoide saudável, a especialista recomenda cinco atitudes essenciais:

- Cuide da alimentação. Mantenha uma alimentação balanceada. "É importante lembrar que a ingestão de iodo diminuiu nas últimas décadas, e espera-se uma queda ainda maior com a decisão recente da Anvisa de reduzir o teor de iodo do sal de cozinha. Essa decisão foi tomada com base em pesquisas que mostraram o consumo excessivo de sal pela população brasileira. Tanto a deficiência quanto o excesso de iodo são situações de risco para a função tireoidiana, portanto, devemos ter muita cautela na sua suplementação", alerta Daniele.

- O consumo excessivo de sal iodado deve ser evitado. O mineral pode ser encontrado em peixes, frutos do mar, algas marinhas, caldo de peixe caseiro, manteiga, abacaxi, alcachofra, aspargos e uma série de verduras de coloração mais escura.

- Faça exames periodicamente. "Recomenda-se que exames de sangue para pesquisa de alterações tireoidianas sejam feitos rotineiramente em adultos acima dos 35 anos, e repetidos a cada cinco anos, ou num intervalo menor, se houver sintomas como pele seca, queda de cabelos, inchaço, alteração de memória, cansaço excessivo, alteração do ritmo intestinal ou do ciclo menstrual", diz a endocrinologista.

- Cuidado especial deve ser tomado durante a gestação. "O diagnóstico e cuidados de um possível hipotireoidismo devem ser precoces. Pacientes com hipotireoidismo necessitam de ajuste da dose da medicação. Para pacientes que não estão em tratamento para hiopotireoidismo, a suplementação adequada de iodo costuma ser necessária. O iodo faz parte da composição dos hormônios tireoidianos, essenciais para o bom desenvolvimento do feto", explica a especialista.

- Faça o autoexame da tireoide. "Estima-se que 60% da população brasileira tenha nódulos na tireoide em algum momento da vida, porém apenas 5% a 10% são malignos", diz Daniele. O autoexame é simples:

  • Fique em frente a um espelho procurando em seu pescoço a região abaixo do "Pomo de Adão". Sua tireoide está localizada nessa área.
  • Estenda a cabeça levemente para trás para facilitar a visualização.
  • Beba um gole d'água.
  • Ao engolir, a tireoide desliza para cima e para baixo. Observe em seu pescoço se existe alguma saliência ou elevação localizada. Repita esse teste várias vezes, se necessário, enquanto houver alguma dúvida.
  • Observe se existe algum nódulo ou saliência. Ao notar alguma alteração, procure um endocrinologista para obter orientações.

Para saber mais acesse: www.mulhersemfalta.com.br