41 3121.1001

41 99121.1001

Notícias

Semana Nacional de Combate ao Alcoolismo

Além da associação bem conhecida com doenças hepáticas, o consumo de bebidas alcoólicas também está relacionado ao aumento no risco de desenvolver diversos tipos de câncer. Esse risco aumenta independente do tipo de bebida consumida, ou seja, o organismo não distingue se os efeitos tóxicos vieram através do vinho, da cerveja ou de destilados.

Muitos casos de câncer de boca, faringe, laringe, esôfago, cólon e reto, fígado e mama são decorrentes dos efeitos carcinogênicos das bebidas alcoólicas. Devemos ficar atentos, pois quando alguém morre devido a um câncer de pulmão, a primeira pergunta que vem à mente é se a vítima fumava, mas ainda não é comum associarmos um caso de câncer de mama com o consumo de álcool.

E por que é tão importante falarmos sobre isso? Principalmente por que não existe um consumo seguro de álcool quando se fala em risco de câncer. O que se sabe é que quanto mais álcool uma pessoa bebe, maior o seu risco.

As bebidas alcoólicas contém pelo menos 15 agentes causadores de câncer.

Uma associação ainda mais perigosa é “fumar e beber”. Evitar o cigarro e as bebidas pode prevenir 80% dos casos de câncer bucal e 90% dos casos de câncer de laringe.

Confira abaixo algumas dicas que podem ser seguidas para minimizar o risco de complicações pelo consumo de álcool:

- Homens devem limitar o consumo de álcool a 20g/dia e mulheres a 15g/dia (1,5 dose para homens e 1 dose para mulheres)

- Tire alguns dias de “folga”. Não consuma bebidas alcoólicas em pelo menos 2 dias da semana, o que ajuda o fígado a se recuperar dos efeitos do álcool, reduzindo o risco de complicações hepáticas.

- Evite episódios de consumo abusivo de álcool.

Lembre-se: Menos é mais! Um menor consumo de álcool leva a uma vida mais longa e com mais saúde.